SPOftalmo | Prevenção & Saúde Ocular

Exames clínicos, cirurgias e tratamentos

Localizada em uma região privilegiada e de fácil acesso, a SPOftalmo dispõe de uma clínica moderna e aconchegante, que tem como objetivo oferecer aos seus pacientes um atendimento humanizado, exclusivo e personalizado, aliado aos mais modernos conhecimentos e técnicas em Oftalmologia. A clínica é composta por excelentes profissionais com título de especialidade médica em Oftalmologia e que permanecem em constante atualização sobre as diversas áreas oftalmológicas. Tudo para oferecer a você, um diagnóstico rápido, preciso e um excelente acompanhamento, a fim de garantir a saúde dos seus olhos. Agende sua visita, será um prazer recebê-lo !

Especialidades

O uso das Lentes de contato é a forma mais conservadora para se enxergar sem os óculos. Elas têm diversas indicações, como por exemplo: prática de esportes, eventos festivos, e até mesmo indicações médicas, na qual os óculos não conseguem dar o máximo de visão que a paciente precisa. Em casos de elevado astigmatismo, por exemplo, as lentes de contato são o tratamento de primeira escolha para melhor correção visual.

O uso das lentes de contato é muito comum, porém, requer alguns cuidados por parte dos pacientes, e principalmente uma boa adaptação, feita somente com um médico oftalmologista. O uso incorreto da lente de contato pode causar consequências desastrosas ao usuário desavisado. Portanto, este paciente deve ser avaliado com frequência. Consulte-nos, e veja qual a melhor opção para seu caso!

É uma especialidade da Oftalmologia que cuida das pálpebras e dos tecidos ao redor dos olhos, como: glândulas, cílios e o sistema de drenagem da lágrima.

As pálpebras podem ser acometidas por diversas doenças ou até mesmo por marcas da senilidade como no caso da dermatocálase(excesso de pele dessa região), dando o aspecto de “olhos cansados”. Este excesso de pele pode ser corrigido cirurgicamente pela técnica denominada blefaroplastia.

A plástica ocular engloba cuidados desde procedimentos estéticos até acompanhamento de lesões tumorais, como o câncer de pele.

Todos nós nascemos com uma lente intra-ocular, que tem como objetivo, ajustar o foco do que estamos enxergando. Com o passar dos anos, esta lente, chamada cristalino, pode começar a se opacificar, levando a uma baixa de visão. Chamamos esta condição de CATARATA. Ela pode começar a surgir por volta dos 50 anos de idade e sua evolução depende de pessoa pra pessoa.

Catarata tem cura?

SIM! O tratamento é cirúrgico, através do qual utilizamos um moderno aparelho que fragmenta a catarata por uma incisão extremamente pequena (aproximadamente 2mm), e implantamos no seu lugar, uma lente intra-ocular perfeitamente transparente, devolvendo a visão do paciente!

Os olhos através de diversos mecanismos mantem-se alinhados para focalizar uma imagem. O estrabismo nada mais é do que o desalinhamento dos olhos, ou seja, o desvio ocular para outras direções e sentidos. Embora não tenha padrão hereditário definido, o estrabismo é frequentemente familiar. Importante ressaltar que o acompanhamento é necessário, pois o desvio ocular pode ser despercebido pelos pais e levar a uma baixa de visão irreversível. O tratamento pode ser realizado tanto de forma clinica, por meio de óculos e/ou oclusão(tampão), quanto cirurgicamente dependendo do caso.

Cerca de 70% da população é dependente dos óculos para manter uma boa visão. Entretanto, em certas situações o uso dos óculos se torna inconveniente para o paciente.

Já imaginou não depender mais dos óculos?

Isso é possível com a cirurgia refrativa, que através de sofisticada tecnologia a laser, consegue corrigir as alterações corneanas responsáveis pela baixa de visão!

Todos podem fazer a cirurgia?

Infelizmente, não. Este paciente deve passar por consulta oftalmológica e realizar alguns exames para verificar se este procedimento pode ser realizado de maneira segura.

Converse com seu oftalmologista para maiores informações!

A retina constitui a túnica mais interna do globo ocular e é responsável por transformar o estímulo luminoso em sinal elétrico. Ela é ricamente vascularizada, sendo assim, diversas doenças sistêmicas, tais como: diabetes, hipertensão, doenças reumatológicas e infecciosas podem levar a alteração retiniana com conseqüente baixa de visão. Além das já citadas, existem outras doenças especificas da retina, dentre elas a mais comum é a doença macular relacionada a idade (DMRI), uma afecção que constitui a principal causa de cegueira legal no mundo ocidental em pacientes acima de 50 anos. Portanto, consultas periódicas para um diagnóstico precoce e controle adequado são de suma importância. 

É um grupo de doenças que acometem o nervo óptico de forma irreversível e com consequente perda da acuidade e campo visual.

A pressão intraocular (PIO) elevada é um dos principais fatores de risco para o seu desenvolvimento, mas, é possível desenvolver dano ao nervo mesmo com pressão normal.

Trata-se de uma doença muito comum, principalmente na população mais idosa. Entretanto, existem formas que acometem adultos jovens e até crianças recém nascidas.

Sabe-se que é uma doença que tem importante componente familiar, ou seja, a chance de um indivíduo ser acometido, caso tenha algum familiar com glaucoma, é muito maior.

Seus sintomas em estágios inicias costumam ser imperceptíveis pelo paciente, sendo portanto, muito importante consultas periódicas com o médico oftalmologista.

Reduzir a pressão intraocular constitui a principal forma de se evitar ou retardar a progressão da neuropatia, podendo ser feita de forma clínica (ex:colírios, laser) e/ou cirúrgica.

Cirurgias

  • Catarata
  • Estrabismo
  • Refrativa
  • Descolamento de Retina
  • Vítreo-Retinianas
  • Pterígio
  • Calázio
  • Plástica Ocular
  • Aplicação de Anti-angiogênicos
  • Yag-Laser